Carta aos meus filhos #18

Meus queridos,
A mãe está calada porque a vida dá muitas voltas. É deixá-la andar e ver onde nos leva, sem revelar trunfos e fraquezas. A mãe… o coração da mãe não está morto.
A vida tem um sentido de humor perverso e o alinhamento das coisas… bom, o alinhamento das coisas garante-me que há um plano e que ela sabe o que está a fazer. Eu, contudo, precisaria de subir ao andar mais alto de um arranha-céus para compreender o que está escrito.
A mãe está feliz. Descobriu uma nova pessoa que lhe traz conforto. Além dessa nova pessoa, há outras que estão sempre por cá. Apesar de um tanto abatidas, e até desencontradas, estamos todos à procura de nós próprios. À procura do nosso lugar no mundo. À procura de nos encontrarmos, por fim, numa qualquer esquina da cidade de todos os dias.
Hoje recebi dois telefonemas a respeito do gato. O primeiro foi a dez minutos de sair para ir almoçar, pelo que corri como uma louca até ao quintal onde, pressupôs-se, o Napoleão estaria estendido a apanhar sol. A asma enganchou-me a garganta e pensei que morria, mas sorria enquanto corria, e estava sol e, por uma vez nesta semana, não só não tive frio como me senti inundada de calor. Quando cheguei ao dito quintal, o gato em questão tinha fugido. Vi-o de relance e não me pareceu o meu. Chamei-o e ele não respondeu.
À tarde, faltava meia hora para sair do trabalho. A senhora garantiu-me que era o meu gato, sim, sim, é ele, sim, sim, tem a mancha triangular no nariz, sim, sim, chamei Napoleão e ele veio. Merda. Não era ele e eu corri tudo desde uma esquina de avenida em hora de ponta até ao beco onde julguei que iria reencontrar o meu pequenino. Não era ele.
O avô senta-se na escada, contempla o quintal e os telhados da vizinhança e eu estendo-lhe um bombom ainda na caixa. Ele olha-me nos olhos ao metê-lo na boca e diz:
– Custa-me estar aqui sentado. Estou sempre a pensar no gatinho.
Pois a mim custa-me estar em todo o lado, porque assim que me sento em casa começo a falar sozinha, esquecida de que ele já não me ouve, de que ele já não conversa comigo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s